Médico deve acompanhar teste ergométrico

Teste ErgométricoExame avalia capacidade cardiorrespiratória, circulação e metabolismo. Agora deverá ser acompanhado para prevenir incidentes.

CFM determina que médico deve acompanhar teste ergométrico inteiro

Uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (27) determina que médicos devem acompanhar todas as etapas do teste ergométrico feito por seus pacientes. O exame serve para avaliar a capacidade cardiorrespiratória, a resistência, a circulação sanguínea e o metabolismo da pessoa.

De acordo com a resolução 2021/13, o profissional também deve estar capacitado para atender a eventuais emergências cardiovasculares que ocorram durante esse exame de esforço físico feito em uma esteira ou bicicleta ergométrica.

Além disso, é obrigatório ter à disposição, no local do teste, equipamentos como desfibrilador e medicamentos em caso de intercorrências, principalmente paradas cardiorrespiratórias. Segundo o CFM, estudos científicos apontam a incidência de uma morte a cada 10 mil exames desse tipo.

Para o conselho, será considerada falta de ética se o médico atribuir sua responsabilidade a outro profissional da saúde. O exame deve, ainda, ser sempre solicitado por um médico, e seu resultado precisa ser analisado posteriormente.

Em todo o mundo, o teste ergométrico é um método usado para diagnosticar doenças cardiovasculares (como arritmias), analisar respostas a tratamentos, indicar exercícios mais adequados e fornecer dados para perícia médica.

Para fazer o teste, o paciente ou seu representante legal deve indicar por escrito que consente em fazê-lo. Se o indivíduo for menor de idade, seus pais ou responsáveis precisam permanecer na sala durante o exame. E o paciente só pode ser liberado após restabelecer suas condições de repouso iniciais.